Seguidores

NOTA: OS ARTIGOS AQUI PUBLICADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES, CITADOS NO FINAL DE CADA ARTIGO. NÃO NECESSARIAMENTE ESTA PRODUÇÃO CONCORDA INTEIRAMENTE COM O ENTENDIMENTO TEOLÓGICO DE CADA AUTOR. TODAVIA, OS PUBLICAMOS COMO FONTE DE CONHECIMENTO E COMO FORMA DE CONTRIBUIR PARA O ALARGAMENTO DO ENTENDIMENTO E A POSSIBILIDADE DE CONHECERMOS VÁRIAS FORMAS DE PENSAR. CABE A CADA LEITOR REFLETIR, À LUZ DA BÍBLIA, SE CONCORDA OU NÃO COM OS POSICIONAMENTOS AQUI ADOTADOS.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

PE: Padre é afastado após ter fotos íntimas divulgadas nas redes sociais, veja as imagens

PE: Padre é afastado após ter fotos íntimas divulgadas nas redes sociais, veja as imagens

O padre Severino Ézio de Melo foi afastado das funções na Diocese de Pesqueira, no Agreste de Pernambuco, por causa de “fotografias comprometedoras da moral espalhadas nas redes sociais”.
Nas fotos, o padre aparece deitado com um outro homem em uma cama sem camisa, em outro momento com taças na mão brindando e beijando o rapaz no rosto. Segundo informações da Polícia, o sacerdote estava recebendo mensagens de um suposto ex-namorado, que pedia R$ 30 mil para que as fotos não fossem divulgadas.
11356073_736618656448582_1693654038_nNo dia 30 de abril, o padre foi no Grupo de Operações Especiais (GOE) e prestou depoimento sobre o caso. Ainda de acordo com a polícia, o suspeito de ter divulgado a foto é um autônomo que não teve o nome divulgado, pois o suspeito ainda está sendo investigado.
O delegado responsável pelo caso, Cláudio Castro, disse que encaminhou os autos do processo à Justiça e está aguardando o retorno do inquérito para poder iniciar a conclusão do caso.
O celular do suspeito foi apreendido e está sendo periciado.
Antes, o sacerdote sofreu uma advertência canônica que “não surtiu efeito esperado”, de acordo com nota enviada à imprensa pela diocese na manhã desta terça-feira (19).
Ainda segundo o documento, a advertência “não foi obedecida pelo padre”. Por isso, o sacerdote também sofreu uma suspensão canônica. Ele está impedido de “presidir ou administrar qualquer Sacramento ou Sacramental, de celebrar ou concelebrar a Eucaristia, com a presença pública de fiéis cristãos”.
A decisão foi tomada pelo bispo Dom José Luiz Ferreira Salles. Ele considerou o cânon 1395. “Se persiste o delito depois da advertência, podem se acrescentar, gradativamente, outras penas, até a demissão do estado clerical”.
Abaixo o decreto:
suspensao
Fonte: Darcio Rabelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário