Seguidores

NOTA: OS ARTIGOS AQUI PUBLICADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES, CITADOS NO FINAL DE CADA ARTIGO. NÃO NECESSARIAMENTE ESTA PRODUÇÃO CONCORDA INTEIRAMENTE COM O ENTENDIMENTO TEOLÓGICO DE CADA AUTOR. TODAVIA, OS PUBLICAMOS COMO FONTE DE CONHECIMENTO E COMO FORMA DE CONTRIBUIR PARA O ALARGAMENTO DO ENTENDIMENTO E A POSSIBILIDADE DE CONHECERMOS VÁRIAS FORMAS DE PENSAR. CABE A CADA LEITOR REFLETIR, À LUZ DA BÍBLIA, SE CONCORDA OU NÃO COM OS POSICIONAMENTOS AQUI ADOTADOS.

terça-feira, 16 de julho de 2013

VATICANO “PAPA QUE LHE DÁ A RESSURREIÇÃO DAS IDIOTICES”


VATICANO “PAPA QUE LHE DÁ A RESSURREIÇÃO DAS IDIOTICES”


O Vaticano e o mundo do faz de conta. Impressionante como um pouco de vida prática, ordem social natural e relações dos homens entre si obrigam a sociedade à riscar de suas memórias todos os fatos do século passado e evitar que o mau exemplo seja encarado de frente como importância especial para os dias de hoje. O mau conhecimento que a maioria dos homens tem das questões bíblicas e o afastamento da educação de todas as matérias fundamentais de ensino cristão, fez de seus reitores e professores o próprio diabo (Igreja Católica Ap. Romana). Damos boas vindas ao Papa!
Os gênios das perturbações religiosas não estão contentes com o histórico de maldades e monstruosidades na Era Papal. Decretaram na última terça feira, 09 de Julho, que peregrinos católicos que participarem da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, receberão uma indulgência plenária, o que significa que terão seus pecados perdoados pela Igreja. Atenazaram durante séculos a humanidade, na busca de uma salvação ilusória, sem dar fé bíblica, mas projetos que só agravariam este mundo tenebroso. Sabemos como tudo isso acabou para a cristandade ao longo da história e por fim acabará, para os ignorantes que consentem com tão berrante governo cristão, ao risco de novas inúteis mudanças (não reconhecerão a existência de nenhuma religião).
O Vaticano dará perdão de pecados aos seus viajantes ”súditos seguidores”,  intermediado pelo Franciscano “reencarnação de João Paulo II” com o custo de 118 milhões ao cofres públicos aqui no Brasil.  Perguntamos: quem perdoará os pecados e pagará os gastos de Roma, Vaticano e dos Papas?
Enquanto o Papa finge não lembrar dos crimes de sua Igreja e hipnotiza a sociedade com as utopias, as Nações Unidas (ONU) apresenta uma longa lista de pedidos de informação sobre casos de abuso sexual contra menores cometidos por membros do clero, religiosos, religiosas, ou trazidos de “atenção da Santa Sé” para enviá-lo ao Vaticano. O Comitê das Nações Unidas para Direitos da Criança, o “corpo que lida com o cumprimento da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da infância”, enviou uma lista de cerca de vinte pontos de acusação. Pela primeira vez, o Vaticano, observador permanente nas Nações Unidas, terá de dar explicações detalhadas à ONU sobre casos de abusos sexuais contra crianças praticados por membros da igreja católica. Segundo fontes locais, como todos os membros da convenção da ONU sobre os direitos da criança, o Vaticano deve responder regularmente sobre suas ações a especialistas das Nações Unidas. A fumaça branca na chaminé do Vaticano indica documentos e cristãos queimados ao longo da história.
Concluímos…
A idéia de perdão é transmitida usualmente pelas Sagradas Escrituras como expiação, e seu uso em conexão com os sacrifícios é freqüente no A. Testamento. Seu uso como “perdão” implica em que alguma expiação foi efetuada, e nos apresenta um quadro vívido em que o pecado é levantado do pecador e transportado para longe. No N. Testamento o perdão está ligado diretamente à Cristo (Justiça). Basicamente o “perdão” depende da obra expiatória de Cristo e do ato da Graça completa de Deus no Calvário. Usualmente encontramos o perdão ligado a Fé (Atos 10.43;Tg 5.15), pela lado humano, a necessidade do arrependimento para remissão dos pecados (Mc 1.4) repetidamente, por muitas e muitas vezes, João Batista as utilizou, tema este que foi muito aproveitado por Pedro com referência ao Batismo cristão (Atos 2.38). A fé e o arrependimento não devem ser reputados coisas meritórias mediante as quais merecemos o perdão. Pelo contrário são meios pelos quais nos apropriamos a Graça de Deus por intermédio de seu Filho Jesus.
O uso equívoco desta expressão “perdão” contrasta a busca de uma absolvição separado da Cruz de Cristo. Temos os ignorantes que querem pagar o que já foi pago por Jesus na Cruz (indulgências) e por outro lado os espertos que pensam estar autorizados à exercer funções que somente correspondem a Cristo (absolver culpados). O perdão por conseguinte’, só é possível por que Deus é Deus cheio de Graça e Misericórdia, mediante ao seu Filho Jesus, compassivo, clemente, grande em misericórdia e fidelidade, que agora guarda o perdão em mil gerações, derramado em favor de muitos pecadores que precisam se arrepender e crer em seu Nome e obedecer sua Palavra.
Maranata, Jesus está voltando !